PORTFÓLIO >> Edifícios de Habitação >> Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Dados Gerais

Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98

Lisboa, Portugal


Prédios Privados Imobiliária SA


BDP, Intergaup & Promontório


54000,00 m 2


Detalhes

As torres de São Gabriel e São Rafael são dois edifícios de 90 metros de altura localizados no recinto da Expo 98 em Lisboa. Cada edifício possui cinco pisos subterrâneos e vinte e cinco pisos acima do solo. O rés-do-chão é utilizado para as áreas de acesso, health clubs, etc.

A afassociados foi encarregue de desenvolver os projectos de abastecimento de água e drenagem. À parte foi contratada para executar uma revisão completa do projecto de estruturas.

Devido à dimensão requerida pelas instalações técnicas, foi necessário um elevado nível de coordenação para garantir a optimização da ocupação dos ductos verticais bem como dos espaços técnicos ao nível dos tectos. Os espaços necessários para estes serviços foram considerados como parte integrante do projecto inicial, dada a sua influência no projecto de arquitectura.

Face à grande altura dos edifícios, as instalações de abastecimento de água e serviço de incêndio foram concebidas, por forma a permitir o nivelamento das pressão por patamares. Relativamente ao abastecimento de água, foi necessário colocar estações de bombagem intermédias para garantir a pressão necessária nos locais de consumo. Na rede de incêndio foram estabelecidos vários anéis de distribuição com diferentes pressões de serviço com origem numa central de bombagem à cota baixa, por forma a estabelecer que a pressão se encontre entre o valor mínimo de 0,40MPa e máximo de 0,70MPa.

As canalizações verticais para a drenagem de águas residuais utilizaram um sistema de queda única com ventilação secundária. Logo abaixo do nível inferior das áreas residenciais, num piso técnico - o casco -, as canalizações verticais são reunidas em dois tubos de queda principais. Da mesma forma, as condutas de ventilação verticais são reunidas, por sua vez, na parte superior dos edifícios, para reduzir o número de penetrações na cobertura.

A estratégia do plano de combate a incêndios era possuir um sistema completo que incluía “sprinklers” nos pisos subterrâneos e apenas bocas de água nas ante-camâras e carretéis nos pisos superiores. O sistema é constituído por uma rede totalmente húmida, isto é, em carga, com alimentação a partir de um grupo de bombagem de incêndio.

Custo dos sistemas de águas pluviais e residuais: € 1.097.355


Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
Torres S. Gabriel e S. Rafael na EXPO98
esq
dir